Disqus Shortname

Review | O Convento (The Convent)

Após o anúncio que Valak - a freira demoníaca do filme Invocação do Mal 2 vai ganhar um filme próprio/spin-off, fiquei curiosa em assistir filmes que tivessem em seu enredo freiras não lá muito comuns. Foi assim que eu descobri o filme O Convento (The Convent).

Filme O Convento


Dirigido por Mike Mendez e com a participação de Adrienne Barbeau (famosa por atuar em filmes de terror dos anos 80 e por ter sido casada com John Carpenter), O Convento é um filme de apenas 79 minutos que teve sua estreia mundial nos cinemas em julho de 2000. É um filme do gênero trash, sem dúvidas. Sim, aquele tipo de filme de terror que arranca risos do público devido às suas características estéticas bastante ruins ou por ter personagens que com suas personalidades e ações acabam com o clima de tensão que normalmente rodeiam os filmes de terror do início ao fim.

O Convento começa com a cena onde uma garota entra em uma capela de um convento e atira em um bocado de freiras e até mesmo no padre. Não satisfeita, ela coloca fogo na capela. Tal episódio vira lenda urbana. Quarenta anos depois, um grupo de jovens universitários (daqueles bem estereotipados), resolve invadir o convento para pintar as iniciais da fraternidade nas paredes e se divertirem um pouco, fazendo o uso de drogas enquanto exploram o local. Em determinado momento, a polícia chega ao convento e após passar um sermão, os coloca para correr. Porém, algo e alguém acabam ficando para trás e após discutirem um pouco, resolvem voltar para buscar o que havia sido lá esquecido e, consequentemente, a garota (gótica, por sinal) que havia sido deixada para trás, sem imaginar que haviam despertado aqueles velhos demônios que buscam uma virgem para ser o hospedeiro do anticristo.


Decididamente, O Convento não é um filme de terror ruim, tem apenas aquela estética de ter sido mal feito e é até bem engraçado com aqueles personagens clichês sendo massacrados ou possuídos das formas mais esquisitas. Há também um bocado de cenas com sangue jorrando de/para todos os lados, cabeças decapitadas, uso de drogas e insinuações sexuais. Sendo assim, não esperem nada além de um filme engraçado, mas não recomendado para crianças e nem para cristãos fervorosos.