Disqus Shortname

AHS | 6 personagens que foram baseados em criminosos reais

A série American Horror Story já está indo para a sétima temporada e em breve seremos apresentados a mais uma leva de personagens que, na maioria das vezes, são criações originais das mentes sombrias de Brad Falchuk e Ryan Murphy. Porém, acreditem, alguns dos personagens que vimos ao longo de todas as temporadas, foram baseados em histórias de pessoas reais, alguns assassinos em série, como é o caso desses seis que vocês podem conferir logo abaixo.

1 . Miranda e Bridget Jane (6ª Temporada: Roanoke)


Estas duas enfermeiras da 6ª temporada de AHS foram baseadas no caso da dupla formada por Gwen Graham e Cathy Wood, que ficaram famosas quando as autoridades descobriram que elas foram as responsáveis pelo assassinato de cinco senhoras idosas em uma casa de repouso, onde trabalhavam como cuidadoras. O caso aconteceu nos anos 80, no Estado do Michigan. Gwen Graham e Cathy Wood eram melhores amigas e também amantes e por pura crueldade, resolveram fazer uma espécie de "aliança amorosa", que consistia em serem cúmplices dos assassinatos uma da outra. Na mídia, ficaram conhecidas como "as amantes letais".

2. James Patrick March (5ª Temporada: Hotel)


Na 5ª temporada de AHS, nós vimos a história do Hotel Cortez que cuja arquitetura foi planejada por James Patrick March, seu fundador. March, assim como o Hotel Cortez, foram baseados na história de H.H. Holmes e em seu “Castelo Assassino”. Assim como March, H.H. Holmes costumava fazer suas vítimas dentro de seu hotel e esconder seus corpos no porão. Outra curiosidade é que no final das contas, ambos foram entregue às autoridades por alguém que os servia.


3. Twisty (4ª Temporada: Freak Show)


Um dos personagens de todo o universo de AHS que me deixou com mais medinho (até agora) foi o palhaço Twisty. E olha que eu nem tenho medo de palhaços. Twisty foi baseado no famoso serial killer americano John Wayne Gacy, que costumava se vestir de palhaço para animar festinhas infantis e outros eventos. Era considerado um cidadão exemplar, até que a verdade veio à tona. Conhecido pela mídia como Palhaço Assassino, foi condenado por violentar sexualmente e assassinar pelo menos 29 garotos nos anos 70. Condenado à pena de morte, recebeu a injeção letal 10 de maio de 1994.

Veja a história de John Wayne Gacy aqui

4. Madame Delphine LaLaurie (3ª Temporada: Coven)


A Madame Delphine LaLaurie que conhecemos na 3ª temporada de AHS, realmente existiu. Foi uma socialite que viveu no French Quarter de Nova Orleans no começo do século 19. Pouco após sua casa pegar fogo, as autoridades entraram na mansão e descobriram como Madame LaLaurie tratava os seus escravos, deixando-os presos em gaiolas por dias, os acorrentando em fornos e os subjugando a toda sorte de torturas, exatamente como vimos na série. A diferença é que na série, Madame LaLaurie acabou pagando pelos seus crimes, enquanto na vida real, ela fugiu para a França com a sua família e nunca mais foi encontrada. Segundo registros parisienses, ela faleceu em 1849.

5. O Homem do Machado (3ª Temporada: Coven)


Nesta temporada vimos a personagem de Jessica Lange iniciar um relacionamento com O Homem do Machado de Nova Orleans. De fato, ele também existiu e aterrorizou a cidade entre 1918 e 1919. Em 13 de março de 1919 ele escreveu uma carta para os jornais dizendo que ele mataria naquela noite, porém pouparia aqueles que estivessem escutando música jazz. Naquela noite os clubes de jazz ficaram lotados de clientes nervosos e dezenas de bandas foram contratadas para tocar em casas durante toda a noite. Ninguém foi assassinado, mas o Homem do Machado de Nova Orleans também nunca foi pego.

6. Dr. Oliver Thredson (2ª Temporada: Asylum)


O modus operandi do Dr. Oliver Thredson da 2ª temporada de AHS foi baseado no do famoso e cruel assassino e ladrão de túmulos Ed Gein, que também inspirou os personagens Buffalo Bill de O Silêncio dos Inocentes e Leatherface de O Massacre da Serra Elétrica. "Apenas" duas mortes foram atribuídas à Ed Gein, ainda que se suspeitasse que outras cinco pessoas também poderiam ter sido suas vítimas. Quando a polícia descobriu o cadáver de Bernice Woden na casa de Ed Gein, também acabou se deparando com um cenário doentio com crânios humanos empilhados próximo a sua cama, abajures e poltronas revestidas com pele humana, cintos feitos com mamilos humanos e máscaras que eram feitas com os rostos cuidadosamente removidos de suas vítimas e de corpos que roubava do cemitério. Considerado culpado pelos seus crimes, porém insano, Gein passou o resto dos seus dias em um hospital psiquiátrico.  Morreu em 1984, decorrente de complicações de um câncer no fígado.

Leia mais sobre o caso Ed Gein clicando aqui