Disqus Shortname

John Wayne Gacy, o verdadeiro Palhaço Assassino (Parte 1/2)

John Wayne Gacy Jr. Talvez este nome soe familiar para alguns de vocês, meus leitores. Não é à toa, afinal estamos falando de um dos mais conhecidos e infames serial killers norte-americanos que desde a sua prisão, vem inspirando a criação de diversos personagens na ficção. 


Afinal, é de mexer com a imaginação de qualquer pessoa o fato de que esse homem com cara de bonachão, pai de família e homem de negócios ficaria conhecido como sendo o Palhaço Assassino, após estuprar, torturar e matar ao menos 33 garotos com idades entre 11 e 21 anos durante a primeira metade dos anos 70.

Um pouco de história

John Wayne Gacy Jr. nasceu em 1942 e em 1962 casou-se com Marlynn Meyers, com quem teve um casal de filhos. Ele era gerente de três franquias de um restaurante famoso pelos seus frangos empanados e fritos, em Waterloo. Também era membro ativo da Jaycee local, uma espécie de organização sem fins lucrativos que visava a formação de jovens líderes, entre outras coisas. Inclusive, seu trabalho voluntário foi sempre muito bem reconhecido pelos amigos e comunidade.

Porém, havia um lado mais sórdido dessa organização em Waterloo que envolvia swing, prostituição, pornografia e uso de drogas entre seus líderes. John estava envolvido com essas atividades até o pescoço e sem que sua esposa soubesse, claro, a traiu diversas vezes com prostitutas locais. Mas, o que acontecia no “clube” permanecia no clube.

Não satisfeito, John abriu uma espécie de “área de lazer” em seu porão, onde recebia amigos e funcionários para beberem um pouco, relaxarem e jogarem sinuca. Embora houvessem empregados de ambos os sexos em seus restaurantes, os únicos convidados a socializar em seu porão eram os do sexo masculino. Então, vocês já devem imaginar como ele usava o lance da bebida como desculpa quando tentava assediar sexualmente um dos seus funcionários durante essas “happy hours” e era rejeitado, não?

Acontece que em agosto de 1967, John atraiu Donald Voorhees à sua casa com a promessa de mostrar a ele alguns filmes adultos. Donald era filho de um colega da Jaycee, tinha apenas 15 anos e era curioso como qualquer adolescente (e na época não havia internet, lembrem-se disso!). O garoto bebeu um pouco além da conta e John Wayne Gacy Jr. o persuadiu a fazer sexo oral com ele. Porém, a história veio a público somente no começo do ano seguinte, quando o jovem Voorhees (!!!) contou ao seu pai o que havia acontecido. Em 10 de maio de 1968, John foi indiciado, acusado de sodomia e condenado a 10 anos de prisão em dezembro daquele mesmo ano após uma avaliação psiquiátrica que concluiu que ele tinha um transtorno de personalidade antissocial, porém era mentalmente competente para ser julgado.

Foi aí que sua esposa pediu o divórcio e a guarda não-compartilhada dos filhos. O juiz decidiu a favor dela e então ela sumiu do mapa, levando os filhos e tudo o que tinha direito, deixando apenas o número da conta onde deveria ser depositada a pensão. (Bah! Certeza que muitas mulheres fariam o mesmo e com toda razão, não?)

Após 18 meses na prisão, John Wayne Gacy Jr. foi colocado em liberdade condicional por bom comportamento. De volta a Chicago, ele voltou a morar com a mãe e após trabalhar um tempo como cozinheiro em um restaurante de fast food. Após o término do seu período em condicional, sua mãe o ajudou a comprar a casa que se transformaria no matadouro do Palhaço Assassino pouco tempo depois, conforme verão na segunda parte desse artigo.